domingo, 13 de janeiro de 2008

Sobre o vermelho

Nesses últimos dias que pude viver
Descobri coisas que não sabia,
Verdades que desconhecia
E hoje temo pelo meu viver.

A angústia é um sentimento extremamente complexo.
É olhar uma foto e não tocar a imagem em sua existência concreta,
Sentido-a mesmo não cravando as unhas e dentes.
Descobri que frustração é ser um poeta inativo.
É guardar para si as expressões de sentimentos tão genéricos quanto singulares.
É respirar mais profundamente e excretar o infinito,
Exalando o mais puro e derradeiro vestígio de vida.

O vermelho que me inunda é o mesmo que me escorre pelo corpo
Como larva que corrói a superfície inofensiva em seu caminho
Meu vermelho é dor
É tristeza
É saudade...

2 comentários:

Fernando disse...

Rapaz...muita coragem postar isso aqui. até pq: "É guardar para si as expressões de sentimentos tão genéricos quanto singulares."...mas sim, li 4 vezes e a leitura foi tão límpida qto as dos meus livros de biologia...hehe. E arrisco dizer uma coisa, só que não contarei aqui :)
No mais, tá show!

fernanda disse...

Vermelho... e aos poucos eu fui descobrindo que esta era uma das preferidas.
Como tudo que voce escreve, esta Divino, mais ainda, porque o Gott é voce.

Até...